Chicão – Francisco Assis

Dia 14.01.2018

Armazém em Terra Nova Velha – Achávamos que não tinha pontos de venda lá; e que o de Seu João Leite era de pouca importância. Chicão esclareceu que era um armazém surtido, e mais antigo do que o de Pepeu. A venda de Pepeu, além de muito mais recente, tinha uma biboca que vendia Fufu.

A venda surgiu por uma ação de Lourival [Lourival era agente da Leste na estação de Terra Nova] junto a Manoel Marques empreiteiro da Leste, fazia a manutenção da Linha” foi ele quem desmancho o Ponto Ceen da Praça, e o reconstruiu em Caraconha”. Pepeu abriu a venda com a garantia de vender para os trabalhadores da Turma de Manutenção os gêneros comestíveis.

 

Dia 18.01.19

Identificação – Francisco de Assis Melo, nasceu em 09.03.1937, em Terra Nova Velha – na rua de cima na altura da casa de seu Ricardo. Filho de Jose Higino Melo e de Maria de Anunciação Assis. Nasceu na casa de seu avô materno onde morava sua mãe, o pai deixou sua mãe e foi morar em Salvador. Foi criado pela avó paterna.

Educação – Aprendeu o ABC com a mulher de Janjão, não lembrou o nome.

Antes de entrar para escola da professora Alice Nogueira, teve outras professoras; estudou com a professora Maria José; professor Ranulfo.

A escola do professor Ranulfo era onde hoje é a casa de Violeta Bacelar. Fez Exame de Admissão ao Ginásio, já trabalhando na Petrobras. Fez o curso Cientifico á noite no Colégio Duque de Caxias em Salvador. Prestou vestibular na U. Federal para Engenheiro Mecânico passou na segunda opção – Matemática.

Trabalho – menino aprendeu a arte de barbeiro; na usina foi aprendiz de torneiro mecânico. Trabalhou como ajudante de pedreiro de seu pai na construção do hospital (1956) Raimundo Magalhães, de propriedade das usinas de Magalhães, na administração de Doutor Monteiro.

Chicão

 

Depoimento (09.06.2017)

Chicão – Francisco de Assis Melo – 09 de março de 1937

Nos encontramos, por acaso na receita Federal, aproveitei para conversar sobre duas coisas:  as terras de dona Lulu, ele tem uma casa em Caraconha; e em Terra Nova Velha.

Aprendeu a arte de barbeiro na Tenda de Duque, quando era numa sala do anexa ao Armazém de Seu Lotas.

Foi no tempo de Zeca Oficial; – éramos eu, Jacó, Ademir e Narciso; depois trabalhei um tempo no Abrigo da Usina; fui para a Base Aérea, depois para a Petrobras, onde me aposentei, mas continuo ligado á Petrobrás, pois sou Delegado do Sindipetro – Sindicato da Indústria de Petróleo. Prestei exame de vestibular me formando em professor de matemática. Fui também jogador do Vasco, como você, nosso Vasco de Terra Nova.

Chicão foi um grande colaborador do Espaço Bangue, nos acompanhando ou nos levando conhecer diversas ruínas de engenho, em São Francisco de Conde, Passé, Candeias; nos reunimos diversas vezes na Biblioteca de Nazaré para conversar sobre Terra Nova.

Casualmente nos encontramos hoje na Receita Federal, e entabulei uma conversa sobre as terras de professora Lulu e também sobre Terra Nova Velha.

– você conheceu a professora Lulu; – conheci, eu ia na casa dela acompanhando minha mãe, que ia pagar a ela a frente da casa.

 

Ramais ou Desvios – O local na Linha de São Bento que começava o desvio para Aliança era no Entroncamento de Carapiá. O responsável

Pelo controle era Dona Marocas (não é a dos Correios).

Desvios, no Brejo de Arroz partia outra linha, era o desvio de cana em direção de são Caetano e Aramaré.   [esclarecer mais isso, pois eram dois].

Doutor Monteiro [administrador das usinas de Magalhães] tinha como projeto construir um ramal partindo da usina construindo uma ponte para atravessar o Pojuca depois do Dornel, evitando pagar o pedágio que a Leste cobrava, no trecho da Estação Terra Nova até próximo ao mercado, logo depois da ponte de ferro, com isso retiraria os trilhos do centro [do distrito, na época Terra Boa]. [Seu Antídio me falou sobre isso, e eu julguei que fosse um projeto mais antigo, antes mesmo de Magalhães].

Terra Nova Velha – começamos a conversar sobre esse lado de do município, a partir do Trapiche.

O trapiche era um deposito de seu Aurélio Cerqueira, ficava cheio de mercadoria, que era distribuída entre compradores em diversos lugares, em tropas de burro [Mané Veado era quem viaja para fazer essas entregas e vendagens].

Não era um armazém de fumo [o nome Trapiche me levava a pensar assim]. “Você pensava assim, talvez por causa de Bom Jardim, lá é que tinha Trapiche de fumo”.

Nas nossas conversas com seu Antídio Roque ele me dizia que os armazéns de fumo ficavam no Jacu e Bom Jardim e eram dos alemães.

Venda de Vadu – era irmão de um celeiro que morava do “Outro Lado” – Santinho.

A venda, na verdade uma biboca, situada no que seria a sala de sua casa, normalmente era sua mulher quem ficava a frente. Ele tinha dois burros para tirar cana para a usina.

Otavio Nunes – falou-se pouco. Teria sido o primeiro presidentes do sindicato [com certeza um dos fundadores]. Doutor Monteiro não gastava dele, demitiu-o de usina e ele passou dificuldades. Foi citado os filhos; Iraci, Beni, Seu Tonho, Benedito, e Jandira, que foi colega na escola de dona Alice.

Agenda ano 2020  dia 03 de fevereiro

Estivemos com Chicão no seu trabalho. Ele realmente esteve internado [informação dada pelo filho de Gonzaga] em 16 de janeiro no hospital Santa Izabel por seis dias – principio de infarto.

Conversamos: Ele acha que Cordão não é irmão de Braulino; viu o começo da Rua do Quadro, Frederico foi quem construiu a primeira casa; quando sua mãe comprou de Dona Lulu, a casa era de Palha, bem arruinada; Frederico ainda não tinha chegado, morava no Bião.

Agenda ano 2020, 23 de abril.

Chicão por telefon3:

José Emídio era irmão de Olímpio, não me lembro do nome do pai.

Foi meu mestre no Abrigo.

Sinha Pomba criou Menininho Zói de Gato. Ela era vizinha de Dona América cuja filha casou com Zezinho de Frederico, que não era marido de Sinha Pomba, nem morreu quando a Tamoyo explodiu. A máquina não estava em experiência.

Tinha um Trole movido á gasolina construída no tempo de Dr. Monteiro, Sely foi um dos motoristas.

O Auto de Linha era movido à gasolina. A bateria como nos carros era pra a partida.

Zé Emídio era casado com Zuleica (filha de Lucio Fobia).

 

Agenda ano 2019, dia 11 de janeiro.  (vide 19.11.18)

Estive hoje no endereço de trabalho de Chicão FEASAPEB No 73. Rua Santa Clara Nazaré. Ele não estava deixei com Rita cópia de um roteiro para conversar 2ª feira.

Agenda ano2019, dia 14 de janeiro.

Estivemos com Chicão para agendarmos um dia para conversarmos (ficou marcado para sexta dia 18).

Conversamos bastante, falamos várias coisas que vale anotar.

1 – João Leite tinha um Armazém em Terra Nova Velha {[eu sabia, mas nunca registrei]}.

2 – Pepeu abriu a Venda na Rua de Baixo graças a Lourival ser da Leste, Mané Marques. Manuel Marques era com sua empresa responsável pela manutenção da Linha. Lourival intercedeu para que o pessoal fizesse suas compras em Pepeu.

Pepeu tinha uma biboca que vendia Fufu na Rua de Baixo.

Lá na Rua de Baixo era um centro de música José Higino [tocava violão, tinha mais Eurico].

Agenda ano 2019, dia 09 de maio.

1 – Morou numa casa de palha em Terra Nova Velha

2 – A casa que sua mãe comprou na mão de Dona Lulu em Caraconha era de Palha.

3 – A cobertura era de pindoba, a cobertura de sape era cara, e a pindoba tirava no mato.

4 – Como seu pai José Higino trabalhava na usina de pedreiro o fogão ele chamou a vapor – foi mais fácil de chegar.

5 – Contou como foi expulso pelos irmãos Pacheco e trabalhadores com ameaças. Zé Varé tinha um Alambique- e eles diziam que contaminava o pasto.

6 – Num dia muito chuvoso que, o pontilhão defronte da sua casa por onde passava a linha da Leste e de São Bento desmoronou e a Suruá (maquina de Paranaguá) caiu dentro do buraco, isso entre 1951 e 1952 eu cheguei de folga da Base.

7 – Zé Rosendo meu tio trabalhou na usina na Turbina de açúcar, aposentado comprou casas e botou uma Venda.

8 – Dona Almerinda, mulher de Artur Malembá, era presidente do Milindrosa.

9 – Janjão era marido…   [tomamos informações de Bié e Beni].

 

Agenda ano 2019, dia 29 de maio.

Falamos com Chicão pedindo o telefone de Nelson no Rio.

 

Agenda 16 de dezembro de 2020

Ligamos para Chicão – 32 037243 para saber de Seu Beraldo, moravam na altura da agulha do desvio para São Bento, na parte de cima [única casa], logo depois da de Dona Vivina. Beraldo fazia umas peças de bronze colocando na frente da casa eram muito bonitas. Ele na usina era ajustador mecânico no Abrigo.

Toninho Caxixe era seu filho, trabalhava na oficina com Pedro Barros.

Zé Mota, pai de Pepê e Tote, no tempo de Dr. Monteiro era Chefe Geral da Usina.

Lucio Fobia era chefe do Salão de Cizinhamento.

Seu Odilon era chefe do Salão de Açúcar. Morava no Dornel, ultima casa, tinha várias filhas, uma foi colega de Chicão. [seu Odilon era Baixinho, puxava da perna, usava bengala].

Frasco era de São Caetano, criado por dona Amália mulher de Chico França.

Agenda ano 2020, 01 de outubro.

Falamos com Jacó, Chicão e Gonzaga.

Todos com saúde só Gonzaga que informou que na quarentena se manifestou o açúcar alto.

A conversa convergia sempre para o Bião – sua localização, isso depois que Dona Maria Alfreda, filha de Lídio Cotó disse que morou no Bião em baixo na Linha [tenho que fazer um mapa do Bião com Chicão ou Gonzaga].

 

Agenda ano 2021, 06 de Abril.

Chicão (Gilmar telefone 3203-7243)

Falar de Zé Rosendo irmãos, filhos Arthur Malembá e Eurico.

Zé Higino era sobrinho (Zé Rosendo) irmão de Dona Maria dos Reis

Calhau não morou na casa de Dona Marocas do brejo de arroz

Eurico – Higino, Pepeu, Manoel Tiago, Deusdete (Cantor).

Chicão – Zé Rosendo era irmão de Dona Maria dos Reis.

Rosendo – era tio de Zé Higino por isso ele, Chicão o chamava de tio.

Nas noites de lua, na Rua de Baixo fazia serenata: Eurico, Zé Higino, Manoel Tiofo, Deusdete era o cantor.

Artur Malembá veio da Usina Malembá

Mulher de Mané celeiro era Dona Pichita

 

Agenda ano 2021, 24 de Junho.

Chicão

Maquinistas: Paradora, João Bonzão, Manoel Mané da Tamoia, Chiquinho de Cardoso, Zé Matias e Estevão.

25/06/21 – Fixo de Chicão 3203-7243, celular 98827-4458.

Maquinistas/maquinas:

Mané da Tamoia – Tamoia

Zé Matias – Brasil

*Toinho – Pojuca

*Estevão – Aratu

*João Bonzão – Substituiu Eliseu

(*- irmãos)

Chiquinho de Cardoso – Tupy

Sabino e Paradora – Aimoré

Cardoso – Mestre de Linha

José Ribeiro – Feitor da Leste pai de Paulo e Napu

Chico da Souza – Avô de Chicão

 

Agenda ano 2021, 07 de julho.

Chicão telefonou informando os maquinistas:

Mané da Tamoia

Zé Matias da Brasil

Toinho da Pojuca

Estevão da Aratu

João Bonzão (substituto) – os três são irmãos

Chiquinho de Cardoso da Tupy

Dia 08 de dezembro de 2021 – Pedro Barros

Quem pode me falar da família; passagem na Usina quando saiu – Terezinha Ribeiro Barros.

Chicão, Jacó e Tote.

Chicão – Pedro Barros era mestre geral da oficina.

Saiu de Terra Nova antes da Usina fecha e veio morar em Salvador

Tinha algum negocio na lapa (Amélia)

Morreu na Lapa (Amélia) atropelado [seu avô, de Chicão, foi maquinista da Souza; morava no alto do Cemitério era eu pensava que era em Terra Nova Velha no alto a cima de Chico Portela].

 

Sabino da Aymoré

Paradora da Aymoré

 

Dia 07 de novembro de 2016 – Telefonamos para Chicão para confirmar sua informação, quando anos atrás, estivemos em Almas. “eu vinha aqui de Maracangalha com meu tio na maquina para pegar cana e levar açúcar para embarcar em barcos”.

Na baixada do Engenho um canal do mar ainda se construiu um pequeno porto.

 

Dia 09 de Junho de 2017 –(fui à receita e encontrei Chicão) Conversamos sobre a fazenda de dona Lulu

– eu conheci bem a professora Lulu, pois eu ia todo mês com minha mãe para pagar a frente de casa.

Dona Merita [professora Merita filha de dona Lulu] tinha um pequeno pomar. Quando o marido morreu ela loteou. Zé de Lotas comprou dois lotes. Ele vendeu esses lotes um eu comprei com Newton Mota. Newton vendeu a Isaque. O meu eu fiz uma casa quando me casei mudei para lá, depois vim para salvador e construí aqui a de lá hoje é só terreno.

Tinha do outro lado uma casa que eu conservei, quando no inicio era de palha.

Dia 19 de novembro de 2018 – Falamos hoje com Chicão relembramos nossos encontros nossas viagens

  • Ele não tem documentos sobre a fazenda Pojuca de dona Lulu na qual sua mãe foi proprietária da casa construída nas terras dela, ele próprio comprou um terreno na mesma fazenda mais já como proprietária a professora Merita.
  • Convidamos para a festa de Terra Nova
  • Ele conheceu ruinas do engenho Periperi disse que ficava perto dos Pacheco
  • Viu falar sobre a ação dos Pacheco para impedir a colocação de postes passando nos canaviais (fato que Mocinha me contou) [Beni também me falou desse fato]
  • Lembrou do alambique de Zé Varé, que Artur e os irmãos mandaram retirar pois os dejetos estavam prejudicando o pasto (lembrou que noutra ocasião ele me falou)

 

Entrevista com Chicão

Chicão: porque Jorge Valente, Vavá Melo.

Viraldo: porque todos esses assinaram, eu me lembro não se se foi você ou Artur que me contou essa historia que Artur tirou Duque de cabeça pra não brigar

Chicão:foi teve tudo isso essa historia toda eu sei entendendo, Duque foi um lutador lutou ate quando pode.

Viraldo:Duque é meu pai, foi você ou Artur eu sei que a ultima prestação não tinha dinheiro você conseguiu tomar dinheiro emprestado na Petrobras.

Chicão:e tomei na Petrobras lá nos amigos meus

Viraldo:ai o filha da puta do Tintim pra que rapaz pra que, que era o ultimo né tinha Genes.

Chicão:foi Genes disse não, não tem problema eu assino pra gente conversar esse pessoal, Jorge Valente não a gente não tem problema não sei o que, mas Tintim era um cara que ficava no meio fazendo.

Viraldo:e Tintim era ligado ao Vasco bicho

Chicão:que ele era compadre de Zezito Teles e ficava naquela, mas Tintim eu sabia a personalidade dele.

Viraldo:eu me lembro que ele era do Vasco pelo seguinte quando eu tava ainda jogando no que joguei no time de Perreu depois fui pro Bahia de Valdir que era da Usina eu me lembro que ele dizia assim se fosse meu filho dizia a Duque ele tinha que vim jogar cá que era pra vim jogar no Vasco, mas essa parte administrativa eu tenho o diário oficial de Santo Amaro, aonde tem a fundação do Vasco eu me lembro que saiu aquele pra ser sócio do Vasco eu não fui sócio mais valquíria foi lá em casa não criou aquele gruo de sócio, sim mas eu quero dizer o seguinte o lançamento vai ser lá no Urucapi por isso eu disse no clube que já foi da gente que não foi qualquer coisa não a gente saia dali, primeiro do Vasco a gente saia da tenda de Duque fantasiado descia ali pela rua depois que teve a sede do Urucapi a gente saia dali a vestia a roupa no fundo do bar

Chicão:nesse instante eu tava conversando com Gilmar aqui sobe Terra Nova, o Vasco de Terra Nova agora aqui que coincidência rapaz você tava vindo.

Viraldo:dês da semana passada ele tem ido comigo a Terra Nova de 15 em 15dias as quartas feiras uma dessas eu digo hoje a gente vai lá em Jacó eu telefonei pra Jacó porque Jacó eu só ia chegar aqui umas 15:30 por ai assim ele disse que de tarde ele tem que dá a soneca dele eu disse hoje você não dorme fique me esperando ai que eu vou ai no meio do caminho fui vê Jacó depois eu ia fazer essa aventura aqui vim de Terra Nova ao invés de ir pra casa a gente descer mas teve engarrafamento qualquer coisa que atrasou ai eu digo não, não vou lá não ai quando chegou ontem comecei a pensar porque já vai ser dia 20 quarta feira e é  15hrs que começa esse lançamento vai ser passado, não vai ser passado o lançamento não a festa ela vai ser passada por uma live pela TV da câmara que passa essas coisas que a gente vê sessão ao vivo e vai ser passado exatamente pra não ficar muita gente nessa pandemia lá na coisa eu não sei ainda o endereço da live pra dizer tal hora e o pessoal ligar a televisão ou o computador sei lá caso não for mas se você fosse seria bom pra mim seria bom pode ir e voltar você esta acostumado a ir a Terra Nova eu até tava me lembrando Chicão ainda vai lá comprar farinha

Chicão:vou, é porque quando eu vou a Terra Nova e às vezes eu gosto de comprar farinha do quicé e aqui o meu pessoal aqui painho você vai em Terra Nova trás a farinha do quicé eu trago farinha, trago tapioca de lá

Viraldo:e você vai dia de domingo né

Chicão:às vezes vou dia de domingo também, domingo ou segunda vou sempre e estou precisando muito ir a Terra Nova.

Viraldo:então é nesse dia eu estou lhe perguntando se você tinha coisa que eu ia passar se tivesse Zap quem é que tem Zap ai

Chicão:eu tenho

Viraldo:você tem, mas não atende.

Chicão:Gilmar tem também

Viraldo:eu tenho seu Zap, eu vou lhe mostrar aqui na verdade eu digo que foi meu filho, mas foi meu neto que as meninas pediram aqui isso aqui é Aline de Terra Nova eu tenho um grupo ai grupo do livro eu vou lhe mostra um negocio aqui que eu ia fazer o lançamento desse livro lá no Espaço Banguê eu mesmo com meu grupo ia convidar os professores e fazer os convites no dia que eu apresentei a eles disse que ia fazer no Espaço Banguê os professores ai ficaram loucos não a gente assume não sei o que ai ia ser na Secretaria de Educação de lá assumiram tudo não sei o que e deram uma parte que eu ia assumir ai terminou crescendo, mas ai juntaram com o pessoal da Educação com o pessoal da Cultura e seria feito no Urucapi porque quem faz parte da Cultura também você não conhece não mas conhece Bizé é o filho de Bizé, Bizé já morreu

Chicão:Bizé o filho de Claudio

Viraldo:não, não é Bizé outro então você não conhece não então eu fiquei encarregado de na verdade é Iza me deixe vê o negocio que foi feito eu pedi a João Henrique, João Henrique é quem tá no Rio, você tem ai o convite.

 

Viraldo Ribeiro

Viraldo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *