Biblioteca Castro Alves – São Bento

Entrevista com Seu Antídio Roque dia 12 de setembro 2008

Sobre seu Anísio Conceição – ele confirma que o mesmo, antes de se estabelecer em São Bento, morou em Terra Nova, foi trazido por doutor Jaime para jogar bola no UTN. Trabalhou no escritório da usina Terra Nova. Ficou responsável pela sede do clube, instalado no Caípe (segunda casa) que disponibilizava jogos de brilhar, ping-pong, dama. Na sede, também, havia uma pequena biblioteca.

Seu Anísio em São Bento era Escrivão. Ainda hoje é lembrado tanto em São Bento quanto em Terra Nova. Começou seu trabalho em Terra Nova, depois mudar-se para S. Bento do Inhatá. “Depois que a Usina fechou Seu Anisio voltou para Santo Amaro, onde morreu” – Dona Rosália Reis – Bibliotecária.
Rosália Reis, ainda adolecente, era a colaboradora na biblioteca.
– “Eu não comecei logo no inicio da biblioteca, depois é que eu cheguei. A Biblioteca começou na casa de seu Anisio Conceição; depois foi para minha casa; quando a Usina fechou (1954) e eu fui transferida para U. Aliança os livros e as estantes foramtransferidos da Castro Alves para o Escritório da Usina São Bento; não lembro o nome de quem ficou responsavel. Foi tudo anotado por Seu Anisio”.

O Livro de Controle, que o Senhor Diretor Presidente do Sindicato – Sr Cesário Barbosa deixou conosco serviu para prosseguirmos identificando nomes de pessoas conhecidas:
Juvenal dos Santos pegou no dia 17 de agosto de 1939 o livro H48 devolvido no dia 01 de setembro de 39;
Osvaldo Reis Santana;
Prof.ª Judith Conceição Prado;
Clovis Alves dos Santos (irmão do professor Juvenal dos Santos);
Mario Silva Souza;
Dr.Jose Melo de Lima;
Manoel Antonio dos Santos (Seu Maneca);
Anisio Americo Conceição (o fundador) que tomou no dia 27 de outubro A Doméstica – abril, sem dúvida uma revista;
Leonor Alves dos Santos.
Apesar de registro do nome no Livro de Controle duas pessoas, com quem falei não se lembravam da extência da biblioteca.
A professora Irene Santos Cunha, lembrou-se, identificando Rosália como a responsavel pela biblioteca, inclusive seu endereço e telefone.
Um encontro foi marcado, por Irene e Rosália, com a familia de Rosália, Irene e seus irmãos Juvenal, Leonor, Alzira, Georgina.

comasogra

 

Rósalia, responsável pela Biblioteca.

Do Encontro, dia 09.03.2008, Irene anotou como resumo das informações de Rosália:

 

 

 

 

todos– Os registros no Livro de Controle da Biblioteca foram feitos diretamente pelo Sr. Anisio Conceição (a letra é dele);
– Seu Anisio era Escrivão;
– O nome da Biblioteca é Castro Alves, fundada por seu Anisio e outras pessoas do Escritório;
– Rosália era a responsavel em carimbar e fazer a identificação dos livros;
– Rosália demonstrou interesse em participar da recuperação dos livros;
– Os livros da Biblioteca foram transferidos de São Bento para Terra Nova por motivo do fechamento da Usina São Bento. [abril de 1954].

A ex-bibliotecaria hoje é uma advogada que tem como hobby a pintura. Na nossa conversa complementou com outras informações:
Os livros e revistas eram comprados em Salvador pela Usina, postado para a Usina São Bento, era transportado de Salvador até Santo Amaro de barco e daquela cidade para Terra Nova de Trem; Os Correios retiravam na estação e entregava nos escritorios de Usina Terra Nova que proseguia de máquina ou trole até o escritório da USB. Ai a encomenda era entregue ao preposto da Biblioteca mediante o ressarcimento do valor da compra;
Existia um grupo de sócios que pagava cada um, uma taxa, Rosália sitou alguns membros como Zacarias West, Seu Orlando; Anisio – chefe do Escritorio da Usina, Rosália.

Rosália Sant’ Anna nasceu em São Bento do Inhatá, onde fez o curso primário, terminando o quinto ano com 11 anos de idade. Apesar da resistência da mãe ela foi se submeter, em Feira de Santana, ao Exame de Admissão ao Ginásio. Tive certeza absoluta de ter saido muito bem nas provas, mas fui reprovada.

A idéia era recuperar os livros e criar no Espaço Bangüê, numa de suas salas, uma estante e identificá-la como “São Bento Inhatá”. Para a recuperação dos livros, seria viável tornar algumas pessoas, de São Bento e Terra Nova, padrinhos de dois ou três livros, ficando o padrinho responsável pelo custo da recuperação.

Fim da Biblioteca– A Usina São Bento fechou no ano de 1954; o seu pessoal, parte foi dispensado, parte foi distribuido entre as usinas grupo Lavoura Indusstria Reunidas– LIR. A biblitecária e empregada da usina, Rosália foi transferida para a Usina Aliança: Os livros da Biblioteca foram transferidos de São Bento para Terra Nova por motivo do fechamento da Usina São Bento. [abril de 1954];
Fui transferida para U. Aliança; transferir para o Escritório da Usina São Bento os livros e as estantes da Castro Alves; não lembro o nome de quem ficou responsavel. Foi tudo anotado por Seu Anisio.

Existe um periodo, no Livro de Controle da Castro Alves (6 de dezembro de 1946 a 24 de maio de 1958) sem qualquer registro.

Em 25 de dezembro de 1958 consta um registro em nome de Maria da Glória Oliveira, sem identificar o titulo do livro; está registrado a entegra, mas, sem a data.
Começa, portanto, com Maria da Gloria a circulação dos livros de São Bento em Terra Nova.
O periodo, final de 1946 a meados de 1958 ficou sem explicação. Nem mesmo Rosalia tem lembrança desse periodo, apesar de ter sido uma das pessoas responsável pela biblioteca até o fechamento.

Cabe por tanto especulações:
Para que Rosália não se lembre das anotações no livro, foi porque ela não era responsavel por esse controle, ela quando começou na Biblioteca, já trabalhava na usina;
O grau de confiança depositada aos sócios e não sócios tornaria indiferente o registro do movimento dos livros;

O controle do movimento, entrada e devolução dos livros reapareceu em 1958, em Terra Nova.