Chalé de Terra Nova

Escrito por Viraldo B. Ribeiro
Dom, 25 de Novembro de 2012 20:31

Escrito por Administrator
Ter, 13 de Novembro de 2012 10:32

C H A L É D E T E R R A N O V A

tn2Ano/ 2012

Chalé
Chaléé: Do francês, chalet. Casa de campo de madeira com telhados em duas águas, bem inclinadas, que avançam sobre a fachada.

vizonicasademadeira.com.br
Chalé de Terra Nova
O Chalé de Terra Nova, como os das demais Usinas da Região, era a residência dos proprietários ou diretores das usinas de açucar.
Essa morada, quase com certeza, foi edificada nos meados da construção da usina, nos fins do século 19, inicio do sec. 20, pois a presença diaria do coordenador do processo produtivo, que vai da colheta da cana até a ensacagem do açucar, era indispensável. É possivel que durante a construção da fábrica existisse um imóvel mais simples para uma morada provisória.
Além do Chalé, á sua direita, no mesmo nível foram construidas três ou quatro casas de avarandado que serviam de morada para gerente e funcionários mais graduados; uma rua com umas dez casas simples, de parede meia para trabalhadores . O local desse conjunto de imóveis é o Caipe, hoje um bairro da cidade.

Rua do Caipe
Como todos os imóveis de propriedade da Usina Terra Nova, a fachada do Chalé era de cor branca e as portas de côr verde.

O abastecimento de agua provinha de uma cisterna construida no Caipe, numa casa, ínicio da ladeira.A água era puxada por um Cata-Vento, e conduzida através de uma tubulação para um tanque, Assim se expressou a professora Leonor Coutinho que morou no Caipe quando era menina.
A localizaçao da cisterna é próxima à fonte do Lírio, de onde se buscava água de beber, e a partir daí por gravidade para o Chalé e as demais residências aqui citadas.
Também moradora do Caipe, naquela época, D.Jacy Bezerra disse: a água de gasto lá de casa e das demais da Rua do Caipe chegava por uma tubulação; a agua de bebê era apanhada na fonte do Lirio.

Catavento

O Chalé era bastante arborizado: várias árvores frutíferas como mangueira, abacate, jabuticaba, saputi, pitanga caju. No fundo tinha uma horta; na área da frente tinha um jardim com bastantes flores, protegido por uma murada cuja frente era de ponta a ponta ornamentada por pés de pitangas uniformemente podados.

Na parte do fundo tinha um pequeno cômodo onde se produzia requeijão e manteiga. O leite desnatado era distribuido gratuitamente e o soro era aproveitado para alimentação de porcos.

No interior do Chalé, na parte térrea, tinha uma sala para projeção de filmes, aproveitada também como sala de aula. Ainda na parte térrea extia uma pequena capela.

O Chalé passou a ser sede da prefeitura no segundo mandato 1997-2000 da administação de Francisco Hélio – Jajá . O imóvel foi recuperado e adaptado nos fins do segundo mandato do prefeito Eduardo Valente, 1993 – 1996.
Não houve alteração no imóvel, sendo preservada toda a sua fachada e aréa, provávelmente uma condição estabelecida pelos proprietários da usina, no ato dadoação.

Chalé de Itapetingui – Chalé de Paranaguá – Chalé de Aliança