Caminho do Rio Pojuca

cp58 siteO Pojuca em Terra Nova – O Pojuca corre numa vasta extensão do município de Terra Nova. Noutros tempos foi fonte de abastecimento de água, para a Estrada de Ferro (até o ano de 1974) e também para a Usina Terra Nova (até o ano de 1972). A Usina construiu uma barragem de cimento, próxima à Ponte, para represar parte das águas do Pojuca.

pojucaPor um canal natural na margem direita do rio passava uma parte da água, represada por um açude que era chamado de Cantagalo. Era do Cantagalo, que a fábrica de açúcar bombeava a água para suas caldeiras. Para evitar que a represa transbordasse foi adicionado um sangradouro – um tubo subterrâneo – que jogava a água pana o outro lado, de uma altura de mais ou menos dois metros, criando uma grande bacia, onde as mulheres aproveitavam para lavar roupa e a garotada
para brincar e tomar banho, era a Coca-Cola. Ainda deve restar parte de ferro e trilhos da Coca-Cola.

cp59 siteRepresa Ponte de Ferro Foto Bangue/89 Com o passar dos anos, o Cantagalo foi sofrendo com o processo de assoreamento, causado pela areia conduzida do Pojuca, e foi se acumulando no fundo do lago. “A bomba começou a puxar areia para os tanques de abastecimento de água da Usina”. Disse o Seu Antidio Roque, tirando da sua memória 98 anos. Com o assoreamento do Cantagalo, a Usina construiu um canal de manilha a partir da cabeceira da ponte, que conduzia por gravidade a água do rio até uma cisterna próxima ao bueiro. Desse reservatório a água era bombeada para as turbinas da fábrica de açúcar, substituindo o Cantagalo.

03 - Usina de Terra Nova.jpgProvável Canal de Manilha Anos 50 Na outra cabeceira da ponte, lado do Comércio, a Estrada de Ferro de Santo Amaro instalou na margem de sua linha férrea, um tanque suspenso para onde bombeava e armazenava água do Pojuca, para abastecer as locomotivas dos trens de passageiros, bem como as dos trens de lastro. Por falta de manutenção a Represa rompeu-se, ficando completamente destruída (A Estrada de Ferro e a Usina Terra Nova estavam inativas); a Ponte sofreu um abalo com as cheias do Pojuca, idêntica causa do rompimento da barragem. O abalo da ponte e o rompimento da represa fizeram com que as águas desviassem, com mais volume o seu curso para o primitivo canal do Cantagalo. A retirada diária, de terra nas margens e no leito do rio para servir nas obras como material de construção facilitou, também, a mudança do canal do Pojuca naquele ponto.

cp59

p.de-ferro-dez2Novo canal Dez/89 Atualmente, somente nas enchentes do Pojuca é que as águas passam, também, pelo antigo canal, levando toda sujeira acumulada dos esgotos ai retida. Na maioria dos meses o antigo canal por falta impulso de agua transformou-se num esgoto, formado de resquícios das aguas remanescentes do rio e pelos despejos que convergem das residências das ruas: Luiz Teles de Menezes, Quinta Feira; antiga

Volta do Gás e adjacências tornando-se um criador de pp sitemuriçocas, mosquitos, um verdadeiro atentado á saúde. A solução para resolver o problema seria: 1- Reconstruir a represa fazendo com que o rio voltasse para seu leito; 2- Construir um canal de manilha de uma Ponte até outra (em torno de 900 metros); 3- Canalizar todas as valetas, desse trecho, que correm a céu aberto para o Pojuca.

 

Fundo do Bangüê Antigo Canal – Água verde A represa aumentaria como noutros tempos, o volume de água, sem prejudicar o seu curso, pois, seria controlada por um sangradouro, e arrastaria no seu curso a sujeira dos esgotos. Esse canal receberia outra vala que corre céu aberto, no final da Rua do Dornel e que, com certeza conduz paro o rio o chorume do lixão ali próximo.

pp31Lixão O Pojuca vem de longe, lá do sertão de Santa Barbara, vem sofrendo com as consequências do progresso: lixões, desmatamento, represamento. Entretanto o trecho de Terra Nova é que nos cabe cuidar. Outros tempos, com água bastante, de janeiro a janeiro, o Pojuca era um viveiro natural para pesca. Vários peixes: marinheira, piau, bagre, crumatá, além de pitu. O município não tem petróleo, não tem minérios, mas a natureza deu-lhes o privilégio de ter um rio passando por suas terras. Tem, portanto o dever de dar conta do que lhes foi legado. A comunidade terranovense é uma espécie de fiel depositário das suas aguas, cabe assumir a responsabilidade e buscar meios para devolver sua vida (agua limpa, plantas aquáticas, peixes),

cp42 sitePassagem na Faz Engenho fazenda Velho Na Semana Santa, especialmente no dia de Sexta Feira Santa, o pescado era principalmente do Pojuca. A pesca fazia parte do cotidiano, normalmente vendido em enfieiras (não era pesado). Pescava-se de anzol, cesto, tarrafa, rede, de três malhos, garrafa, até de mergulho

 

 zzzzzzzzzzzz

zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

Épreciso ter uma visão critica do Pojuca, em Terra Nova. O Centro do Menor Santa Marcelina já abraçou a causa. É pioneira 123

O Espaço Bangüê atendendo ao convite para participar do Projeto SOS Rio Pojuca apresentou, no dia 24 de setembro para alunos e professores, um trabalho de campo – O Caminho do Pojuca.

xxxxDepoimento de alguns alunos do Centro do menor, constante do Convite: Devemos cuidar do nosso Rio Pojuca! Além das águas contaminadas, os peixes também estão. Faz gosto temos um rio limpo e preservado onde nossos idosos, crianças e adolescentes possam desfrutar de toda essa maravilha que Deus nos deu de graça apesar de não merecermos. (Ingride Antunes dos Santos – 4º. Ano A). Todos nós podemos ajudar o Rio Pojuca a não morrer e a tornar mais limpo o lugar onde vivemos! (Carsten Santos de Jesus – 4º Ano A) Como seria bom se essas águas fossem limpas e cristalinas. Nossa vida seria outra, pois esse espaço seria para lazer e um belo ponto turístico para todos que visitassem a nossa cidade. (Milena Plácido Santos – 4º.) Ano A. Vamos salvar o nosso Rio para trazer beleza para nossa cidade (Sara da Paixão Palma Barro 4º Ano B). Vamos salvar o nosso Pojuca para que os peixes possam sobreviver os animais beberem de sua água, e nós, o ser humano possa admirá-lo. (Murilo Henrique da Silva) O Rio Pojuca clama por socorro e nós precisamos ajuda-lo, conseguirmos salvar o nosso Rio, porque há vida nele sim! (Guilherme da Costa Peixoto – 4º. Ano B). Vamos salvar o nosso Rio para trazer beleza para nossa cidade. (Sara da Paixão Palma Barro 4º. Ano B).
painelO Pojuca depois de Terra Nova O Pojuca vem de longe, lá do sertão de Santa Barbara, passa em diversos lugares, atravessa rodovias federais e estaduais, recebe água de vários rios afluentes até chegar a Praia do Forte, Mata de São João. O Pojuca deixa a cidade de Terra Nova depois de atravessar a BA 053 na ponte que liga o Dornel ao Caípe. 

 

Pojuca no Quicé – São Sebastião do Passé Na Barra de Pojuca, no município de Mata de São João, antes de atravessar a Linha Verde e chegar ao mar de Praia do Forte, o rio se mostra muito bonito.

 

 

 

Barra de Pojuca Atravessando a Linha Verde Praia do Forte

zxzxzx

 

 

 

 

 

O objetivo desse trabalho é chamar a atenção da comunidade terranovense, das autoridades, das escolas, e a partir daí unirem-se para tomar medidas em favor da recuperação do Pojuca. É importante ter uma visão critica das coisas Fazer o que está fazendo a Escola Santa Marcelina. Palestra no Centro do Menor

 

 

 

Encontro do Rio Pojuca com o mar

 

S O S POJUCA Terra Nova, setembro de 2013.
Viraldo B. Ribeiro