FREGUESIA DE ITAPOROROCAS

Ainda do trabalho de Bangüê, no Arquivo Público, buscando as Freguesias do Recôncavo da Bahia, encontramos referências à Freguesia de São José das Itapororocas, como passagem ou nascença de rios, ou no limite com outra freguesia, o que a colocava dentro do contexto que desejávamos. Na freguesia de Oliveira dos Campinhos, por exemplo, Itapororocas “Confina com as duas referidas freguesias e com a de São Jose dos Itapororocas, S. Pedro de Paranjie e o Rio Fundo”…. “Correm pelo dito continente os rios Pojuca e Subaé que nascem da dita freguesia de S. Jose de Itaporocas.”

São José da Itapororocas

Na freguesia de São Pedro do Rio Fundo “…Parte com as freguesias: pela Sergipe do Conde… pela parte do norte com a freguesia do Espírito Santo de Inhambupe de Cima e a de S. José de Itapororocas”. Foi importante para a criação da freguesia de Santo Estevão em virtude de ser Itaporocas muito longe para os moradores do lugar “para se lhe acudir com o pronto remédio do saudável pacto espiritual dos Santos Sacramentos dos quais, sem grande dificuldade, não podiam ser servidos”.Nos documentos, encontramos relatórios sobre outras freguesias, nenhum sobre Itapororocas. Entretanto, trata-se de um distrito de Feira de Santana, com novo nome, Maria Quitéria. Retiramos do Jornal A Tarde de 24/09/2002 – “Apesar de sua importância histórica, a antiga Matriz de São José das Itapororocas, situada no distrito de Maria Quitéria, ex -São josé, nunca teve a devida manutenção e passou por algumas reformas que chegaram a atingir muitas das suas características originais. Pelos estudos de monsenhor Renato Galvão, o bandeirante João Peixoto Viegas, o povoado da região de Feira de Santana já fazia referência à igreja antes de 1653. Ainda, segundo o monsenhor, o arquivo do bispado guarda um livro de batizados e casamentos da freguesia de São José das Itapororocas, no período de 1685 a 1710. Alguns autores atribuem a criação da paróquia aos idos de 1696, data da nomeação do primeiro vigário. A biblioteca do Vaticano guarda os originais do relatório do arcebispo dom João Franco em 1694, incluindo São José como freguesia”.

Viraldo Ribeiro

Viraldo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *