Zelinda Pacheco

  • Filha de Eulina Pacheco Pinho e Gregório Moreira Pinho
  • Avós maternos – Américo Pacheco Pereira e Paterno – Anísia e

3 – Nasceu em Terra Nova Velha em 31 de outubro de 1938, 80 anos.

4 – Irmão – Zélia Pacheco Pinho (sua gêmea , já falecida) Antônio Caetano Pacheco Pinho, Zoraide, Ana, José Américo, Maria do Socorro e Valter.

(tem uma entrevista sobre o Centro Telefônico)

O Centro Telefônico primitivo deve ter começado nos anos 40. “Uma das telefonistas remanescente, morando em Terra Nova, é Zelinda Pacheco de Pinho que assim se expressou (05.07.09):” Entrei no Centro em 1956; quando comecei a trabalhar Zorilda Braga já estava trabalhando, ela substituiu sua irmã, Floripes, quando esta se casou. Antes também trabalharam Lucy e Everaldina; o Centro era de responsabilidade da prefeitura de Santo Amaro, funcionava como uma extensão de Jacuípe; para falar para outros locais (Salvador, Feira, Teodoro Sampaio, Lustosa etc.), era necessário solicitar linha a Jacuípe.”.

Disse mais Zelinda; Em 1963 passei para Prefeitura, quando Jacuípe fechou. Antes de ser transferida para a prefeitura de Terra Nova. Na sede da prefeitura exerci a função de auxiliar de escritório.

Agenda ano 2019, dia 05 de fevereiro.

Meus pais – Eulina Pacheco de Pinho e Gregório Moreira Pinho.

Avos – Américo Pacheco Pereira e Olegário Moreira Pinho.

Filha mais velha (gêmea) fez 80 anos em 31 de outubro.

Irmãos de Eulina: Ermelino Pacheco e Antônio Pacheco Pereira.

A casa foi vendida por minha família. A casa antes era de um senhor chamado Álvaro, não era brasileiro acho que era de Portugal.

Na enchente de 1947 mãe estava gravida de Socorro, a agua veio ate a Rinha onde hoje é um colégio. Meu tio Genes ficou ilhado.

Seis horas Dona Laurinda gritou nervosa – o quintal está tomado pela agua.

Dez horas a agua já estava na frente da casa. Tudo que era de adobo caiu.

Pai tinha uma Venda onde era Roque Leão.

Vizinho – Seu Belmiro casado com a irmã de Zé Vitor (Cazuza).

Irmãos – Zélia, Caetano, Zoraide, Ana, Zé Américo, Socorro e Valter,

Mãe de Seu Gregório Sinha Anísia único filho.

Mãe de Artur Pacheco era Dona Adalgiza.

Estudou com a professora Merita [filha de Dona Lulu]. Caetano estudou com a professora Lulu, era 2 anos mais novo.

Merita a escola era onde morava Mario Doca.

Trabalho – em 1956, 07 de setembro junto de Tinozinho no Centro Telefônico. Em 1963 com Didi Teles foi trabalhar na Prefeitura, no ginásio, Didi, Lourival duas vezes. Luiz tele 1971/72. Depois foi paro o Ginasio 10 anos. Depois foi para a Delegacia.

Telebahia – mudou o Centro para junto do chafariz, antes era junto de Maurilio.

Saí dois anos no Riso já nos últimos anos.

Nos fomos com três meses para Capimirin (Gêmeas).

Eu e Zelinha moramos em Terra Nova Velha.·.

Em mãe (Dona Eulina) foi morar em Salvador.

De Vídeo Para Escrita

Entrevista Zelinda Pacheco

 

Viraldo: Hoje é 06 de fevereiro de 2019 Oh Zelinda eu sei que seu Griga que era assim que chamava ele e Dona Eulina os nomes deles Eulina…

Zelinda: Eulina Pacheco de Pinho e Gregório Moreira de Pinho

Viraldo: Dona Eulina é filha daqui?

Zelinda: filha de Doutor Américo Pacheco Pereira

Viraldo: eu sei e seu Gregório?

Zelinda: pai era filho de Olegário Moreira de Pinho

Viraldo: eu tenho uma ideia de eu sei que você é gêmea e o filho mais velho é Toninho?

Zelinda: não somos as mais velhas

Viraldo: agora quando a gente chega nessa idade não se incomoda de dizer quando nasceu

Zelinda: não eu fiz 80 anos agora em outubro

Viraldo: é mesmo quanto de outubro?

Zelinda: 31 de outubro

Viraldo: eu sou 19, 80anos eu tenho 76 então 4anos então você falou que seu avô é José Pacheco pereira?

Zelinda: Doutor Américo Pacheco Pereira

Viraldo: ou Doutor Américo Pacheco Pereira

Zelinda: é era o pai de mãe

Viraldo: é então dona Eulina é irmã de Artur Pacheco

Zelinda: de Artur Pacheco

Viraldo: de Artur Pacheco por parte de pai quem você conhece mais parte de pai filho de Américo ou era só dona Eulina

Zelinda: não tinha Artur Pacheco Pereira

Viraldo: não mais Artur Pacheco era de pai e mãe, eu estou dizendo assim como dona Eulina que é só por parte…

Zelinda: não de mãe só tinha…

Viraldo: de pai…

Zelinda: de pai e mãe só tinha Ermelina e Antônio que já faleceu

Viraldo: filhos de?

Zelinda: de Américo Pacheco Pereira por parte de pai, que irmão de mãe de parte de pai só foi eles três.

Viraldo: só foi de que, de pai e de mãe?

Zelinda: é

Viraldo: quer dizer a mesma mãe…

Zelinda: a mesma mãe de um foi dos dois

Viraldo: repita o nome ai que eu não, os irmãos de Dona Eulina diga ai de novo.

Zelinda: Ermelina Pacheco Pereira, Eulina Pacheco de Pinho depois que se casou.

Viraldo: que é sua mãe

Zelinda: e Antônio Pacheco de Pinho que já faleceu

Viraldo: e esses dois irmãos de dona Eulina viveu aqui em Terra Nova

Zelinda: morava aqui depois foi para Salvador, que Antônio morreu no Rio, depois casou arranjou lá uma mulher e tudo casou por lá morreu e tia Milu morou aqui depois foi para Salvador, morava ali em Monte Serra onde Zildete mora hoje o quitinete que ela tinha lá e Zildete vive hoje em Monte Serra.

Viraldo: Tá certo, agora aquela casa a de vocês ali a baixo da estação na rua da gente aquele terreno era de Dona Eulina quando vendeu aquela casa ali ficou para vocês ou ficou para os Pacheco?

Zelinda: aquele terreno ali era de Artur Pacheco

Viraldo: Artur Pacheco era aquela malhada tinha a casa e a malhada

Zelinda: é

Viraldo: Há então era de Artur Pacheco

Zelinda: é agora mãe não pagava nada

Viraldo: sei, sei.

Zelinda: mais o outro pessoal pagava

Viraldo: quando, digamos seu Gregório não vendeu a casa quando saiu, você vendeu passou pra outro ou a casa ficou com Artur Pacheco?

Zelinda: não a casa vendeu

Viraldo: o dinheiro ficou pra vocês?

Zelinda: foi, foi, foi.

Viraldo: mais o terreno continua?

Zelinda: continua lá

Viraldo: de Artur Pacheco

Zelinda: é não sei

Viraldo: há sim, sim então mais vocês venderam?

Zelinda: é

Viraldo: venderam tá certo

Não o que eu quero é só porque eu quero saber se digamos era como na área dos Pacheco que você é Pacheco também mais como não era do casal quer dizer a casa teria sido como herança mais não foi herança vocês construíram a casa seu irmão construiu a casa

Zelinda: foi, alias a casa era de um senhor chamado Álvaro que morava nessa casa ai o pai de mão comprou essa casa e deu a mãe.

Viraldo: Américo Pacheco?

Zelinda: sim, Doutor Américo Pacheco.

Viraldo: há comprou então eles…

Zelinda: é ai comprou essa casa mais ela disse a Álvaro Portugal um negocio assim

Viraldo: sei, sei, sei

Zelinda: ele não era brasileiro

Viraldo: não era brasileiro, ai ele comprou.

Zelinda: ai me avô comprou essa casa porque mãe quando qualquer coisa dizia assim olhe quem me deu essa casa foi meu pai ai tinha aquele terreno todo ali

Viraldo: a malhada ali do lado eu me lembro

Zelinda: é que agora está cheio de casa né, está tudo ali cheio de casa.

Viraldo: é eu não sei, é porque o Pojuca não se zangou mais.

Zelinda: não, não, não.

Viraldo: se, se zanga-se tomava aquilo tudo

Zelinda: a enchente de 47mãe estava gravida de Socorro

Viraldo: gravida de Socorro

Zelinda: foi em 47 quando teve a enchente em novembro de 47mãe estava gravida de Socorro

Viraldo: a agua veio na estrada

Zelinda: o que, a agua veio na estrada até perto da rinha ali da rua de baixo não tem aquele colégio?

Viraldo: é

Zelinda: ali em Almerinda por ali tudo a casa de meu padrinho Gení ficou ilhada agua de um lado e do outro só o oiteiro ali com a casa dele

Viraldo: eu me lembro, eu me lembro dessa enchente e a gente dizia sempre passou por dentro da casa de dona Eulina.

Zelinda: foi, foi.

Viraldo: eu não sei se vocês chegaram a sair não

Zelinda: saímos 06horas quando nos acordamos foi Laurinda chamando Dona Eulina levante

Viraldo: dona Laurinda era a vizinha?

Zelinda: era, levante pra vê que o quintal da gente esta ilhado de agua só que a gente não foi mais na finte pelo fundo, pai abriu uma cerca do lado pra poder a gente ir à fonte quando deu 10horas a agua já estava na frente da porta deu 40 cm dentro de casa.

Viraldo: 40 cm?

Zelinda: o que foi de adobo caiu tudo tiraram os carrego quando foi 2horas seu Antoninho gritando Eulina, diga a Eulina pra vim tirar que se não tivesse a porta com a retranca as coisas tinha saído, ai mainha entrou na agua com aquela barrigona de Socorro me Deus, ave Maria com seu Toninho de Otavio os meninos de seu Braga.

Viraldo: há seu Tonho

Zelinda: sim

Viraldo: se sabe que eu não tenho nenhuma lembrança de seu Tonho

Zelinda: foram, os filhos de seu Tonho e os meninos de seu Braga ai mãe, pelo amor de Deus vocês não almoçaram não ai entraram tudo pra tirar as coisas de dentro de casa.

Viraldo: assim seu Antoninho da estação deu o grito

Zelinda: ave Maria seu Toninho, Eulina sai de dentro dessa casa que vai entrar uma tromba de agua, mãe me deixe Toninho me deixe em paz.

Viraldo: e seu Gregório trabalhava aonde?

Zelinda: pai trabalhava onde é ali de Roque Leão era uma venda ali

Viraldo: há ele tinha uma venda ali

Zelinda: é pai tinha uma venda ali e quando pai chegou lá já não entrou em casa de sapato

Viraldo: seu Gregório era daqui de Terra Nova não né?

Zelinda: pai era filho do Bengue

Viraldo: era aqui em Terra Nova mesmo, agora você falou em dona Laurinda eram três casas a que eram de vocês e a ultima de dona Laurinda nessa época ou só me lembro de que quem morou naquela casa do meio um agente da estação era seu…

Zelinda: seu Belmiro era não sei o que lá da leste

Viraldo: sim da leste, era da leste

Zelinda: era casado com a irmã de Cazuza de Zé Vitor

Viraldo: esse pessoal de Cazuza me parece que é de Catu

Zelinda: de Catu é, é de Catu.

Viraldo: tudo bem e ai Zelinda então você os irmãos

Zelinda: é Eu, Zélia, Caetano, Zoraide, Ana, Zé Américo, Zildete, Socorro e Valter somos 09, fomos 12 é.

Viraldo: como é que Socorro começou a ter esse nome Socorro depois

Zelinda: Maria do Socorro mãe disse que botou pra poder não ter mais e ainda teve Valter

Viraldo: assim, Maria do Socorro mais como era que a gente chamava ela não era Socorro não quando começaram a chamar Socorro por aqui eu estranhei.

Zelinda: sim

Viraldo: o nome dela que eu tinha…

Zelinda: chamava Marmara não era não, Maria não.

Viraldo: não era Maria não

Zelinda: não Maria do Socorro

Viraldo: e devia ter algum apelido Zinho, tudo bem.

Zelinda: é

Viraldo: deixe-me vê o que é que a gente sou eu tenho que conversar com esse pessoal porque eu descobrir eu apesar de ser Terra Nova depois de uma determinada data eu diz assim eu quase nem vivi em Terra Nova porque eu estudava fora ai só vinha nas férias e não vinha todo dia de ônibus porque não tinha o ônibus era o trem ai não tinha dinheiro pra ficarem dois dias de feriado pra vim pra cá ai depois fui pra Santo Amara, ai às vezes a turma me pergunta e fulano eu digo eu não infância em Terra Nova fico brincando assim deixe eu vê o que é que a gente tem sim e dona a mulher de seu Gení dona…

Zelinda: Rosa

Viraldo: dona Rosa

Zelinda: era prima

Viraldo: há era prima tinha dona Rosa quem era pro lado dos Pacheco era dona Rosa e não seu Gení

Zelinda: não é

Viraldo: e tinha a de Terra Nova Velha eu brincava com ela a filha dela morava de junto da casa de Vilza sua prima também

Zelinda: Lurdes

Viraldo: Lurdes, como era o nome da mãe de Lurdes?

Zelinda: a mãe de Lurdes chamava Matilde

Viraldo: não o apelido, há não a que criou ela.

Zelinda: quem criou ela foi vó chamava Anísia

Viraldo: sim, sim Anísia sim, Anísia era parente de Dona Eulina era o que?

Zelinda: não Anísia era mãe de pai

Viraldo: há era mãe de seu pai

Zelinda: é era mãe de pai Anísia ai criou ela com meu avô criaram Lurdes

Viraldo: criaram Lurdes

Zelinda: que Lurdes era Lá de baixa funda em um lugar desse ai

Viraldo: assim eu tinha que dona Anísia, não era dona Anísia que a gente chamava não era Seanísia morava assim naquela parte alta na altura…

Zelinda: era lá em Terra Nova

Viraldo: há ela que era mãe de seu Gregório?

Zelinda: é era mãe de pai só teve esse filho

Viraldo: então seu Roque, por exemplo, é seu tio Roque Pacheco de Bié aquele pessoal.

Zelinda: era tio de mãe né

Viraldo: é tio que ele era filho de Américo

Zelinda: é que ele era irmão de Doutor Américo

Viraldo: irmão de Doutor Américo

Zelinda: é ele sim Roque

Viraldo: é Roque era irmão de Doutor Américo agora você ouviu falar da não é sua bisavó mais é bisavó de Artur Pacheco

Zelinda: não, não.

Viraldo: a mulher de…

Zelinda: a mulher de Artur Pacheco se chamava Adalgisa

Viraldo: Adalgisa é dona Adalgisa e, mas a mãe de Américo Pacheco é não…

Zelinda: não sei não

Viraldo: tá bom você estudou a onde?

Zelinda: eu, eu estudei aqui com a professora Merita.

Viraldo: há você estudou com Merita, não estudou com dona Alice não né.

Zelinda: não, eu estudei com dona Alice mais era tanta perseguição porque ela queria que mãe compra-se um livro de matemática Antônio Trajano mãe tinha esse livro perfeito forrou direitinho e me deu mais só que no dia que era pra marcar essa lição ela não marcava ela queria um livro novo ai eu saia desbandeirada correndo encontrava quem encontrava me agarrava ela mandava o filho seu Otaviano me pegar quando foi um dia me agarrei lá em seu Braga e seu Braga venha tirar ela aqui ai terminou mãe me tirando e me botou na professora Merita.

Viraldo: e lindinha também?

Zelinda: Zelinha também, eu e Caetano, Caetano estudou na professora Lulu ela tirou de Dona Alice.

Viraldo: Caetano estudou com a professora Lulu ou Merita, Ele ainda pegou Lulu foi?

Zelinda: pegou lá dona Zita aquele povo

Viraldo: Zita sim

Zelinda: e eu estudei com a professora Merita tirei o 5°ano com a professora Merita (ainda tenho meu diploma)

Viraldo: quer dizer que Toninho estudou, Toninho conheceu dona Lulu de perto.

Zelinda: é

Viraldo: você com 80 e Toninho?

Zelinda: tá com vai fazer agora no dia 21, 79anos não vai fazer 78 que é dois anos eu sou de 38 e ele é de 40 vai fazer 78anos.

Viraldo: é Toninho é mais velho dois anos do que eu e ele estudou com a professora Lulu e com Zita que não era professora e essa escola era onde?

Zelinda: era ali onde mora Terezinha de Tote aquele povo ali

Viraldo: Terezinha certo e você fez seu 5°ano com a professora Merita?

Zelinda: Merita foi ali naquela rua ali eu acho que é ali onde era a casa de Mario Doca

Viraldo: Mario Doca ali de junto da farmácia depois da farmácia porque vem à farmácia de Vavá e ali de junto é porque tinha, eu vou lhe dizer as casas ali você vai lembrar era a partir da farmácia Vavá Melo de junto de Vavá Melo era a alfaiataria de Belarmino ai vinha à casa de dona Merita depois da casa de dona Merita vinha o pessoal que agora eu não me lembro do nome mais era ligado a Gilu esse pessoal.

Zelinda: é dona Menininha ou Nininha que tinha a filha Lita Magnólia esse povo, linda.

Viraldo: é agora de junto da casa

Zelinda: é ai tinha o escritório de seu Aurélio

Viraldo: seu Aurélio Cerqueira

Zelinda: que era a farmácia né

Viraldo: não o escritório é onde é a farmácia mais aquela área toda ali era de Aurélio Cerqueira, beleza e o trabalho, o trabalho inclusive você conversou bastante você me contou e eu tenho isso registrado.

Zelinda: em 56 eu fui trabalhar no telefone em 56-27/09/56 eu fui trabalhar que era ali de junto de Tinozinho

Viraldo: foi ali que a gente se encontrou

Zelinda: e em 63 quando Edito Teles tomou posse ai eu estava de licença que eu tive Paulo e em junho eu comecei a trabalhar na prefeitura

Viraldo: e ai começou a trabalhar na prefeitura mais servindo ao centro telefônico

Zelinda: não, não o centro ai fechou porque o centro era comunicado com o Jacuípe que era de seu Otavio de Doutor Otavio não sei o que lá Jacuípe e Rio Fundo Terra Nova e Rio Fundo era comandado por Jacuípe quando a gente queria falar com Salvador tinha que falar com Jacuípe para Jacuípe da à linha pra gente falar ai que fui pra prefeitura na prefeitura eu trabalhei uma porção de tempo depois fui trabalhar no ginásio, da prefeitura trabalhei no governo de Didi, Lourival duas vezes, Luís Teles em 71 e 72, depois eu fui trabalhar no ginásio, no ginásio eu trabalhei 10anos depois eu fui trabalhei na delegacia estava gravida de Glaucia até e da delegacia eu fui para o ginásio quando eu tive o menino fui trabalhar no ginásio.

Viraldo: então o centro telefônico você não trabalhou ali no Chafariz onde ele teve ali

Zelinda: não, não, não.

Viraldo: você só trabalhou ali de junto do Banguê

Zelinda: não eu trabalhei ali

Viraldo: sim você trabalhou ali de junto do Banguê eu me lembro mais ele teve uma vez se lembra onde ele foi?

Zelinda: não era aqui na praça ali onde é de junto do mercado

Viraldo: eu sei tinha um chafariz recuado era a casa de Pedro Gonçalves né?

Zelinda: Pedro Gonçalves é mais o telefônico era do lado de baixo de junto ali de Maurilio

Viraldo: há era ali

Zelinda: era ali depois na Telebahia foi que subiu lá pra cima

Viraldo: subiu lá pra esse lugar que eu estou falando de junto da câmara vamos dizer

Zelinda: ai subiu pra ali

Viraldo: ai você não trabalhou em nenhum desses dois lugares você só trabalhou…

Zelinda: só trabalhei lá

Viraldo: lá de junto de Tinozinho?

Zelinda: foi eu e Zorilda quando a gente foi trabalhar a gente já foi trabalhar lá de junto de Tinozinho

Viraldo: eu tenho essa conversa sua ai agora como a gente era muito festeiro eu quero que você fale das festas

Zelinda: das festas

Viraldo: micareta você pegou que micareta?

Zelinda: há eu peguei muito micareta eu sair no Riso Entre Flores dois anos foi de Didi Teles né?

Viraldo: foi de Didi

Zelinda: e sai no outro dia eu estava dizendo assim no governo de Jonas eu ai em pé na porta chovendo estava chovendo mais tinha passado passa Vilza com outra pessoa vamos Zelinda até ali m baixo eu disse eu mesmo que não vou pra me molhar que nada menina não vai chover não, menino a gente desceu quando chegou lá em baixo no túnel foi um aguaceiro eu digo o que eu vim procurar ai a gente subiu debaixo de chuva Vera gorda de Adélia se tremelicando dançando se tremelicava toda

Viraldo: qual era o cordão que estava passando?

Zelinda: não já era trio elétrico

Viraldo: já era trio elétrico

Zelinda: ai Vera se tremelicava toda ai Doutor Sergio dizia assim em Vera tudo é assim é ela eu não sei não ai se tremelicava ai eu eita que gorda pra ter a junta mole ai eu cheguei aqui molhada mesmo que pinto

Viraldo: então você saiu no Riso Entre Flores?

Zelinda: sai dois anos

Viraldo: dois anos?

Zelinda: foi, foi.

Viraldo: eu tenho uma foto do Riso Entre Flores de 51 e que tem suas primas filha de seu Gení

Zelinda: sim, Marise e Mirian quando saiu à primeira vez disse que foi um luxo né.

Viraldo: nesse você não saiu não?

Zelinda: não, não.

Viraldo: que elas são mais velhas que você

Zelinda: eu sai já nos últimos

Viraldo: nos últimos ai tem Marise e Mirian e tem a filha de Piquinita, Piquinita não a filha de Ermelino Teles

Zelinda: Mimi

Viraldo: Mimi eu estou dizendo Piquinita mais não é Piquinita não é a mãe de Mimi é?

Zelinda: Pergentina

Viraldo: Pergentina, tá certo, tá bom isso tudo eu vou fazendo isso registrando no Banguê, você tem foto ai do pessoal de dona Eulina?

Zelinda: não tenho não eu tenho essa foto que Socorro achou quem é esse ai?

Viraldo: essa é dona Eulina

Zelinda: e as meninas?

Viraldo: você

Zelinda: Zelinda e Lindinha botou até o nome

Viraldo: da pra pegar mais perto então é dona Eulina…

Zelinda: eu e Zelinha

Viraldo: você e Zelinha as duas gêmeas

Zelinda: e Zelinha com os olhos fechados acho que dormindo

Viraldo: deixe-me vê o que é que esta escrito aqui, minha tia Milu oferecemos os retratos com muito beijo

Zelinda: foi Zildete que achou nas coisas de tia Milu

Viraldo: Zelinda e Lindinha eu sempre misturei chamava você de lindinha mais você que é Zelinda

Zelinda: e é Zélia e Zelinda

Viraldo: Capimirin rapaz

Zelinda: foi à gente foi pra Capimirin

Viraldo: 12/12/1939

Zelinda: foi nós fomos com 3meses pra Capimirin

Viraldo: fazer?

Zelinda: pai trabalhava na cooperativa nos armazém da Usina e então foi transferido para Capimirin, eu e Zelinha nascemos lá em Terra Nova Velha ai fomos pra Capimirin com três meses lá em Capimirin mãe teve Caetano e teve Zoraide.

Viraldo: teve Zoraide

Zelinda: foi teve dois e em Jacuípe teve Ana em São Bento teve Zé Américo e em Terra Nova o restante foi em Terra Nova

Viraldo: assim então quer dizer que seu Gregório saiu de Terra Nova sempre na Usina saiu de Terra Nova foi pra Capimirin apesar de que a Usina de Capimirin não tivesse nada haver com os Magalhães

Zelinda: é mais tinha um armazém

Viraldo: tinha um armazém lá e ele ai foi trabalhar no armazém

Zelinda: trabalhou lá no armazém

Viraldo: do armazém de Capimirin

Zelinda: foi pra Jacuípe

Viraldo: foi pra Jacuípe

Zelinda: de Jacuípe ele veio aqui

Viraldo: foi pra São Bento que você disse

Zelinda: não de Jacuípe ele veio pra aqui daqui foi pra São Bento e de São Bento quando ele veio de novo com Zildete que ai ela veio pra aqui e teve Zildete, Zildete nasceu no dia do casamento de Nono de tio Godo.

Viraldo: Nono?

Zelinda: Nono que casou com tio Godo ai mãe estava parida de Zildete quando Zildete estava com dois anos e tanto pra três ai nós fomos morar em Aliança sabe

Viraldo: isso tudo porque seu Gregório trabalha nos armazém, sim.

Zelinda: de lá de Aliança mãe veio aqui pra Terra Nova

Viraldo: ela e ele?

Zelinda: é a ficou lá morando lá atrás da estação lá mãe teve Socorro e depois teve Valter em Aliança não teve nenhum

Viraldo: e São Bento você contou…

Zelinda: em São Bento só teve Zé Américo

Viraldo: sim mais ele foi pra trabalhar em São Bento

Zelinda: não, no armazém também de São Bento que acima da casa da gente morava Lurdes, Doralice o pai dela chamava seu Geraldo.

Viraldo: seu Geraldo é

Zelinda: que morava que Lurdes descia para o escritório passava pela porta da gente para ir pro escritório

Viraldo: é dona Leonor o pessoal de Mané

Zelinda: Doutor Melo morava em São Bento, Vavá Melo

Viraldo: era em São Bento ou do Brito?

Zelinda: em São Bento era

Viraldo: agora sim então seu Gregório encerrou digamos esse tempo dele foi lá em São Bento?

Zelinda: foi em São Bento em Aliança

Viraldo: se aposentou?

Zelinda: foi se aposentou

Viraldo: ai foi ai que veio pro bar me conte ai o bar Griga como chamava

Zelinda: é o bar de Griga ai pai veio pra aqui pai ainda trabalhou no armazém de Paranaguá trabalhou também no armazém de Paranaguá já aposentado

Viraldo: já aposentado?

Zelinda: foi depois ele saiu e botou o bar ficou ali ficava ali cochilava, a pessoa que devia dois tons oh eu estava sonhando aqui com você que você vinha me pagar dois tons.

Viraldo: tomei muito a gente chamava de refresco de limão

Zelinda: de limão é

Viraldo: jogava sinuca

Zelinda: é ai dali foi…

Viraldo: sim e vocês em Terra Nova só moraram ainda com a família só ali em baixo a estação?

Zelinda: foi ali atrás da estação só moramos ali

Viraldo: mais Dona Eulina morreu em Salvador?

Zelinda: foi pai e mãe morreu em Salvador

Viraldo: mais…

Zelinda: lá no IAPI

Viraldo: morando no IAPI tá bom ai vocês foram ela foi morar em Salvador por quê?

Zelinda: em 72 ela foi morar em Salvador ai a casa lá estava alugada ai ela foi morar em Salvador porque as meninas todo mundo estava em Salvador só tinha aqui eu ai ela com pai, Valter foi pra Salvador Ana foi todo mundo pra Salvador lá todo mundo Trabalhava.

Viraldo: todo mundo Trabalhava r só morreu mesmo…

Zelinda: Zé Américo e as Gêmeas minha

Viraldo: e a gêmea de você Toninho esta em Berimbau?

Zelinda: é Toninho esta em Berimbau tá lá

Viraldo: ai mais ai eu vou dar uma pitada em você, você não foi acompanhando dona Eulina porque você disse que foi em 72 porque você já estava trabalhando?

Zelinda: já trabalhava aqui já tinha 2filhos ai não dava ai levaram um emprestado por uns dias para matar a saudade de Terra Nova e tal por isso nessa levada emprestada ficou com o outro meu Cleber ai esta até hoje com Zildete já tá com 51anos

Viraldo: é mesmo e Jorge Chisto seu marido

Zelinda: Jorge Chisto não era Pedro Morais

Viraldo: Pedro Morais e quem é Jorge Chisto?

Zelinda: Jorge Chisto era de Nini de dona Badi

Viraldo: há era de Nini de dona Badi aquele magrelo quem foi vereador foi ele não foi Pedro Morais?

Zelinda: não foi Pedro Morais não, Pedro Morais fazer acha que 04anos agora em março de falecido foi marido de Nini, até Nini também já morreu.

Viraldo: você ainda tem muita coisa pra me dizer só não continuo pra não lhe cansar mais eu vou voltar ainda aqui. Muito Obrigado

Vizinha lá do outro lado, vizinha do centro telefônico.

Zelinda: né o que eu me lembro tanto

Viraldo: a gente se lembra

Zelinda: de Bezerra, de Chumba, de Dumbo, de José Silva.

Viraldo: as férias juntavam ali que a gente não saia comendo banana de Nono

Zelinda: de Nono e dando risada das conversas de Bezerra, ai mãe dizia assim demorou de chegar.

 

[Dia 07 de março de 2018 – Eulina e Milu Pacheco eram filhas de dona Amélia – sinhá Amélio era avó – Chico Portela ia para Santo Amaro para testemunhar que não eram filho de Doutor Américo Pacheco. As filhas é que não deixaram. Ele Chico Portela era quem levava as compras para sinhá Amância (mulher de Chico Portela Amância)]

 

 

Viraldo Ribeiro

Viraldo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *